Quando Começa O Inverno Em Manaus 2021?

Quando Começa O Inverno Em Manaus 2021
Verão – 21 de junho (terça-feira), às 10h14; Outono – 23 de setembro (sexta-feira), às 02h04; Inverno – 21 de dezembro (quarta-feira), às 21h48.

Quando começa o inverno amazônico?

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/8747

???metadata.dc.type???: Dissertação Title: “Verão e inverno amazônico”: perspectiva meteorológica e a percepção dos moradores do município de Manaus/AM Other Titles: “Amazonian summer and winter”: meteorological perspective and residents perception at the Manaus/AM municioality ???metadata.dc.creator???: ???metadata.dc.contributor.advisor1???: Saraiva, Jaci Maria Bilhalva ???metadata.dc.contributor.referee1???: Mendonça, Francisco de Assis ???metadata.dc.contributor.referee2???: Nogueira, Amélia Regina Batista ???metadata.dc.description.resumo???: Nesta pesquisa buscou-se compreender a dinâmica climática do município de Manaus, localizado no estado do Amazonas, sob a especificidade do “verão e inverno amazônico”, por meio da abordagem cientifica clássica e pela percepção climática dos moradores deste município. Para tanto se buscou compreender a definição empírica e científica de “verão e inverno amazônico”, correlacionando com os conceitos de verão e inverno austral, por meio da análise de dados meteorológicos e da percepção dos moradores de áreas urbana e rural do município de Manaus. Assim, foi realizada uma pesquisa quali-quantitativa com levantamento bibliográfico e com obtenção de dados secundários e primários. Os dados secundários referentes à insolação, nebulosidade, precipitação e temperatura, foram obtidos da Normal Climatológica (1981-2010) coletados da Estação Meteorológica Convencional – INMET. Os dados primários foram obtidos por meio de pesquisa participante e entrevistas aplicadas com pessoas no centro histórico de Manaus e com moradores da Comunidade Rural Frederico Veiga, localizada no Ramal Cláudio Mesquita, km 08 da BR-174. Após comparação entre o clima de Manaus e das três capitais da Região Sul, constatou-se que o clima em Manaus é diferente do clima predominante nessas três capitais e que o “verão e o inverno amazônico” são os responsáveis pelas mudanças na paisagem em Manaus. Enquanto ocorre o verão e o inverno austral nas demais regiões do país, em Manaus ocorre o “inverno e o verão amazônico”, respectivamente. Esta especificidade climática é decorrente da dinâmica geral da atmosfera e da ação de fatores astronômicos, geográficos e meteorológicos. Os fatores astronômicos atuam com a distribuição da radiação solar em cargas significativas e durante o ano todo sobre Manaus. A fisiografia e a latitude também contribuem para a dinâmica climática local. Sistemas atmosféricos como ENOS, ZCIT, ZCAS, AB e as LI também exercem forte influência, modelando o clima do município. Assim, de acordo com os dados meteorológicos, o “verão amazônico” é a estação seca, ocorre entre junho e novembro, caracteriza-se pela intensificação da insolação, das temperaturas e redução da nebulosidade e das chuvas. O “inverno amazônico” é a estação chuvosa, ocorre entre dezembro e maio, caracterizado pela intensificação da nebulosidade, das chuvas e redução da insolação e das temperaturas. A percepção climática acerca do “verão e inverno amazônico” mostrou-se semelhante entre pessoas dos dois ambientes (urbano e rural). Infere-se que tal fato seja decorrente de seus modos de vida, uma vez que ambos os grupos de entrevistados trabalham em lugares abertos. Foi constatado também proximidade entre os dados meteorológicos e a percepção climática. Assim, ambos são complementares e podem contribuir para tomadas de decisões mais assertivas. Enfim, a percepção climática dos moradores de Manaus condiz com os dados da estação meteorológica, evidenciando que o “verão e inverno amazônico” apresentam características distintas ao verão e inverno austral. Abstract: In this research, we sought to understand the Manaus municipality climate dynamics, located in the Amazonas state, under the specificity of the “Amazonian summer and winter”, through the classic scientific approach and the climate perception of the residents of this municipality. In order to do so, it was sought to understand the empirical and scientific definition of “Amazonian summer and winter”, correlating with the concepts of austral summer and winter, through the analysis of meteorological data and the Manaus urban and rural resident perception. Thus, a qualitative-quantitative research was carried out with a bibliographic survey and obtaining primary and secondary data. Secondary data referring to insolation, cloud cover, precipitation and temperature were obtained from the Climatological Normal (1981-2010) collected from the Conventional Meteorological Station – INMET. The primary data were obtained through participant research and interviews with people in the historic center of Manaus and with residents of the Rural Community Frederico Veiga, located at Ramal Cláudio Mesquita, km 08 of the BR-174. After comparing the climate of Manaus and the three capitals of the South Region, it was found that the Manaus climate is different from the prevailing climate in these three capitals and that the “Amazonian summer and winter” are responsible for the changes in the landscape in Manaus. While the austral summer and winter occur in the other regions of the country, in Manaus there is the “Amazonian winter and summer”, respectively. This climatic specificity is due to the general atmosphere dynamics and the action of astronomical, geographic and meteorological factors. Astronomical factors act with the distribution of solar radiation in significant loads and throughout the year over Manaus. Physiography and latitude also contribute to local climate dynamics. Atmospheric systems such as ENSO, ITCZ, SACZ, AB and IL also exert a strong influence, shaping the climate of the municipality. Thus, according to meteorological data, the “Amazonian summer” is the dry season, occurring between June and November, characterized by increased insolation, temperatures and reduced cloud cover and rainfall. The “Amazonian winter” is the rainy season, occurring between December and May, characterized by the intensification of cloud cover, rainfall and insolation and temperatures reduction. The climate perception about the “Amazonian summer and winter” was similar between people from both environments (urban and rural). It is inferred that this fact is due to their ways of life, since both groups of interviewees work in open spaces. It was also found proximity between meteorological data and climate perception. Thus, both are complementary and can contribute to more assertive decision making. Finally, the climate perception of the residents of Manaus is in line with the data from the meteorological station, showing that the “Amazonian summer and winter” have different characteristics to the austral summer and winter. Keywords: Meteorologia – Observações Classificação climática ???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA ???metadata.dc.subject.user???: Clima Percepção Inverno Austral “Verão e Inverno Amazônico” Language: por ???metadata.dc.publisher.country???: Brasil Publisher: Universidade Federal do Amazonas ???metadata.dc.publisher.initials???: UFAM ???metadata.dc.publisher.department???: Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais ???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-graduação em Geografia Citation: SILVA, Zilmar Lima da. “Verão e inverno amazônico”: perspectiva meteorológica e a percepção dos moradores do município de Manaus/AM.2022.145 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus (AM), 2022. ???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto URI: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/8747 Issue Date: 27-Jan-2022 Appears in Collections: Mestrado em Geografia

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Qual mês de inverno em Manaus?

Melhor época para ir ao Amazonas – O calor está presente durante todo o ano na região de Manaus. Existem duas estações bem definidas. O verão, que vai de junho a novembro, são os meses mais quentes e secos, com temperaturas em torno dos 38°C. O inverno abrange os meses de dezembro a maio, aonde a temperatura continua alta, mas as chuvas são mais constantes.

Quais são os meses de chuva em Manaus?

Camille Panzera Entusiasta da fotografia, curiosa por outros idiomas, culturas, costumes e histórias!☺️ Há duas “estações” diferentes em Manaus: seca e chuvosa. Viajar na estação seca ou na chuvosa proporciona experiências completamente distintas, por isso é tão importante escolher a data da viagem.

É recomendável, ainda, que você visite Manaus nas duas épocas, assim poderá ver ao vivo a impressionante mudança no nível dos rios. Prepare-se para temperaturas altas em qualquer época, principalmente no mês de setembro, o terror dos manauras, quando a temperatura passa dos 40ºC frequentemente. A temperatura média anual fica na casa dos 27ºC, mas com umidade e tempo abafado, a sensação térmica é sempre maior.

Calor e umidade estão presentes o ano inteiro; durante a estação seca, de junho a novembro, a chuva é menor. A estação seca (inverno) é quando os rios baixam o nível da água e formam as praias fluviais. A estação chuvosa (verão) ocorre de dezembro a maio e reflete no nível do rios, fazendo-o ficar supercheios e formando os igapós.

  1. O nível chega a variar cerca de 15 metros entre cheia e seca, por isso as construções são adaptadas às mudanças – fato muito interessante de observar.
  2. O Carnaval é uma ótima pedida para a viagem – conhecida como Carnaboi, a festa mistura Carnaval com os ritmos do boi dos famosos grupos de Parintins, Caprichoso e Garantido.
See also:  Lojas Em Manaus Que Vende Corselet?

Viajando entre abril e maio há grande chances de poder assistir o Festival Amazonas de Ópera, que apresenta grandes artistas nacionais e internacionais. Conhecer Manaus no final de outubro é garantia de ouvir falar da Festa do Boi. Cantores e bandas de boi-bumbá alegram o público no Sambódromo, onde não é preciso pagar nada para se divertir.

Qual e o mês mais quente em Manaus?

O mês de setembro é considerado o período em que são registradas as temperaturas mais altas do ano. No último domingo (11), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou, na capital amazonense, a temperatura de 37,4°C – a maior já registrada em 2022.

Porque faz muito calor em Manaus?

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015) Graduação em Geografia (UFSC, 2012) Ouça este artigo: O Brasil, por ser cortado pela linha do Equador e pelo Trópico de Capricórnio, tem 90% do seu território na zona climática intertropical, a mais quente do planeta.

Localizado ao norte do Brasil, o estado do Amazonas é cortado pela linha do Equador, apresentando o Clima Equatorial quente e úmido, pois sofre influência da grande bacia hidrográfica, da evapotranspiração da floresta e da zona de Convergência Intertropical, que satura de umidade no ar, causando muitas chuvas.

Em algumas localidades essa taxa de umidade juntamente às temperaturas altas implica uma grande quantidade de água por metro cúbico de ar o ano todo, além da nebulosidade na maior parte do estado. Isso impede que haja nos registros máximas diárias muito elevadas.

Diferente do que ocorre nas áreas urbanizadas, devido às intensas transformações antrópicas, apresentam um microclima diferenciado. Enquanto setembro e outubro são os meses mais quentes, com temperaturas atingindo entre 40°C e 42°C, os meses de junho a agosto são mais amenos, embora nenhum deles apresente temperaturas inferiores à média de 22°C, característica da zona equatorial.

No Amazonas há uma amplitude térmica baixa, de 1°C a 3°C, o que é comum nas baixas latitudes. As temperaturas nunca são menores que 19ºC durante a noite. No meio do ano, entre os meses de julho e agosto, ocorre o fenômeno conhecido como “friagem”, quando a massa de ar Polar Atlântica (mPa) avança rumo ao Norte pelas planícies interiores da porção oeste do Brasil, trazendo uma forte umidade e chuvas frontais, seguidas por “tempo bom” e queda de temperatura, que pode chegar a menos de 14°C no sul do estado. Pôr-do-sol e nevoeiro na Floresta Amazônica, perto de Manaus. Foto: Thiago Orsi Laranjeiras / Shutterstock.com O Amazonas está localizado em uma das zonas de maior pluviosidade do Brasil, tendo em sua porção noroeste índices que superam 2.700 mm/ano. Isso ocorre por conta da ação das linhas de instabilidade tropicais da massa Equatorial Continental (mEc), caracterizada pela convergência do ar, ocasionando chuvas com trovoadas e ventos moderados a fortes; chuvas do sistema de perturbação de sul do anticiclone polar e sua descontinuidade frontal, juntando-se a essa área de instabilidade, as chuvas de norte da zona de Convergência Intertropical do setor oriental.

  • Em determinados períodos, as precipitações podem ser de tal intensidade que o escoamento natural não impede o acúmulo de água, provocando enchentes nos rios da região.
  • Do estado do Roraima até o sul do Amazonas, há uma faixa do território na qual esses índices são de 1.500 a 1.750 mm, por conta da fraca atuação das chuvas de oeste, da massa Equatorial Continental (mEc) e da zona de Convergência Intertropical em meados do ano.

Na Bacia Amazônica, anualmente chovem 15 trilhões de m³ de água, sendo que 48% disso, em média, é usado pelo ecossistema amazônico na evapotranspiração, já os outros 52% escoam pelos rios. Por conta de toda a complexidade de determinantes interferindo no clima do Amazonas e da região Norte, temos apenas duas estações, pois, ao longo do ano, chove em média por nove meses, enquanto apenas três meses são secos (julho, agosto, setembro até, no máximo, outubro), aproximadamente.

  • A Amazônia como um todo tem importante papel de regulação do clima do Brasil e do mundo.
  • Porém, as transformações espaciais antrópicas ligadas ao processo de ocupação da região e atividades econômicas legais e ilegais vêm modificando de forma acelerada suas paisagens.
  • A soma de fenômenos com El Niño, La Niña e outros, com a derrubada da floresta por madeireiras e para expansão da agropecuária, exploração de garimpo e pela grilagem de terras, influenciam uma alteração climática muito acelerada, levando cientistas a fazerem previsões para cenários climáticos preocupantes.

Segundo dados de satélite do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o desmatamento na Amazônia brasileira na primeira quinzena de julho de 2019 superou a taxa do mês inteiro no ano de 2018. Mais de 1.000 km² de floresta foram derrubados no período, isto é, 68% a mais em relação a todo o mês de julho do ano anterior.

Geografia do Amazonas História do Amazonas Economia do Amazonas População do Amazonas Relevo do Amazonas Vegetação do Amazonas

Fontes: MIGUEIS, Roberto. Geografia do Amazonas, Manaus: Editora Valer, 2011, 144p. Notícias UOL. Desmatamento no Brasil dispara em julho e ameaça acordo comercial com UE, Disponível em: https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2019/07/18/desmatamento-no-brasil-dispara-em-julho-e-ameaca-acordo-comercial-com-ue.htm >. Acesso em: 12/11/2019. Redação Hypeness. Incêndios na Amazônia têm ‘assinatura do desmatamento’, aponta NASA, Disponível em: https://www.hypeness.com.br/2019/08/incendios-na-amazonia-tem-assinatura-do-desmatamento-aponta-nasa/ >. Acesso em: 12/11/2019. Texto originalmente publicado em https://www.infoescola.com/geografia/clima-do-amazonas/

Quando e o verão amazônico?

Com a chegada do verão amazônico, período entre julho a novembro, quando ocorre a escassez de chuva e a incidência do sol é mais forte, a população do Amazonas tem que lidar com o forte calor e radiações solares constantes no dia a dia.

Quando não chove em Manaus?

Manaus entre setembro e novembro: pouca chuva, praias As águas começam a baixar no fim de junho, com o início da época menos chuvosa, e quando chega setembro já existem praias de rio bem delineadas.

Quando e outono em Manaus?

Outono : março, abril e maio. Inverno: junho, julho e agosto. Março: entre 31°C e 24°C.

Qual foi o ano mais frio em Manaus?

Mais alta temperatura registrada em 2015 foi de 38,9ºC, segundo Inmet. Temperatura mínima registrada na história da capital chegou a 8,4ºC. – Cidade tem enfrentado picos de calor todos os dias do setembro (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM) A diferença entre a temperatura máxima e a mínima registrada em Manaus entre janeiro e setembro deste ano é de 17,5º C. A mais alta temperatura dos últimos 90 anos ocorreu na segunda-feira (21), com 38,9º C.

Já o dia mais frio de 2015 foi 25 de março, quando os termômetros marcaram 21,4º C. Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é de mais calor para os próximos dias. Chuvas só devem ocorrer no domingo (27). O calor, segundo o instituto, é considerado “normal” para o período.

Em entrevista ao G1, o meteorologista Gustavo Ribeiro informou que os meses de agosto a novembro apresentam as mais altas temperaturas. “Estamos em plena estação seca. Na região Amazônica, o fenômeno El Niño dificulta a formação de nuvens, diminuindo as chuvas e aumentando as temperaturas do ar.

Este fenômeno deve perdurar até o restante deste ano”, explicou. De acordo com os registros do Inmet, a mais baixa temperatura de 2015 foi 21,4ºC. Em setembro deste ano, a mínima do mês ocorreu no dia 5, com 25,2ºC. A previsão para o resto do ano não é animadora para aqueles que esperavam temperaturas mais amenas.

Segundo o meteorologista, as marcações elevadas farão parte da realidade do manauense até novembro. “A previsão para para os próximos dias é de tempo estável de céu com poucas nuvens e temperaturas altas. Existe uma pequena possibilidade de chuva em áreas isoladas no próximo domingo.

  • Para este trimestre, prevemos chuvas abaixo do normal e temperaturas acima da média para grande parte da Amazônia”, disse.
  • Mínima de 8,4ºC em Manaus Enquanto a capital registra temperaturas próximas de 40ºC, Manaus já apresentou um histórico menos quente.
  • Segundo Ribeiro, a mais baixa temperatura do ar registrada na cidade ocorreu em 1991 – quando a mínima alcançou 8,4ºC.

“É bem provável que tenha sido causado por uma frente fria que atingiu Manaus, o que é considerado raro”, explicou. O meteorologista informou ainda que a temperatura não foi registrada em uma área afastada da região urbana – mas no meio da cidade. “Esse dado vem da estação do Inmet, que na época estava instalada na avenida André Araujo, no bairro Aleixo”, contou. Área de mata foi consumida por chamas no domingo (20) (Foto: Diego Toledano/G1 AM) Queimadas As altas temperaturas têm resultado também no aumento de ocorrências de queimadas em área de vegetação de Manaus. O Corpo de Bombeiros registrou, entre janeiro e setembro de 2015, o total de 263 incêndios em áreas de vegetação localizadas em Manaus.

See also:  Faculdade De Enfermagem Quanto Custa Em Manaus?

O número equivale a 86,5% do contabilizado durante todo o ano de 2014, quando houve 304 incêndios. As chamas geram perigos para humanos e comprometem a fauna e flora na capital. O calor intenso auxilia na combustão de plantas secas e resíduos jogados em terrenos e áreas de mata, além da propagação das chamas.

Restos de cigarro e o ato de queimar lixo, ou folhas secas, podem iniciar incêndios de grandes proporções, alertam bombeiros. “A ação humana é a principal causa desses incêndios. É preciso sempre fazer a capinagem do terreno, recolhendo o lixo acumulado nos terrenos em sacos e dando o devido destino nos caminhões de coleta.

Qual a cidade mais fria do Estado do Amazonas?

Foi o que aconteceu com a cidade mais ao Sul do Amazonas, Boca do Acre, que registrou as temperaturas mais baixas do ano no estado.

Vai ter friagem em Manaus?

Sem grandes efeitos em Manaus, frio no interior do AM pode atingir 17° 1 de 2 Chuva em Manaus. — Foto: Reprodução Chuva em Manaus. — Foto: Reprodução Os próximos dias serão de temperatura atípica no Amazonas, de acordo com dados do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

No interior, as temperaturas podem cair para até 17°C. Já a capital,, não sentirá grandes efeitos, com média entre 23ºC e 29ºC. Em todo o Brasil, os uma semana de frio intensa até o próximo domingo (22). Em algumas cidades do país, há previsão de neve e “chuva congelante”. O clima em alguns estados já começou a mudar na segunda-feira (16).

O Censipam aponta que municípios como Boca do Acre, Eirunepé, Ipixuna, Envira, Guajará, Itamarati, Lábrea, e Pauini, no sul do Amazonas, deverão sentir as temperaturas mais baixas entre esta terça (17) e quinta-feira (19), alternando mínimas entre 20°C e 17°C.

  • Em, que concentra a maior parte da população do Estado, os efeitos serão sentidos em menor intensidade.
  • A temperatura pode cair para 22°C durante a madrugada desta quarta (18) e quinta (19), sendo que a média mínima será de 23°C.
  • Nesses dois dias, as máximas estarão entre 28°C e 29°C.
  • De acordo com o meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Instituto Nacional de Meteorologia, os dias serão de céu nublado em grande parte do período, com ocorrência de chuvas e tendência de ventos fracos a moderados ao longo do dia.

“A gente sabe que em relação à temperatura, esse não vai ser só um fenômeno que vai causar essa queda de temperatura na capital amazonense, mas também vai aumentar a quantidade de nebulosidade por esses dias e não vai deixar a temperatura máxima ficar muito alta”, explicou.

Qual foi a temperatura mais alta registrada em Manaus?

Nos últimos 30 anos (de janeiro de 1991 até 31 de dezembro de 2020), o recorde de temperatura máxima registrada na estação meteorológica do Inmet foi de 39°C, no dia 21 de agosto de 2015.

Quantos dias por ano chove em Manaus?

in Amazonas, Brasil 68,130 Views A cidade de Manaus está localizada no coração da Amazônia em uma das regiões mais húmidas do Brasil. O clima da cidade é equatorial úmido. Típico da floresta amazônica, este tipo de clima é caracterizado por altas temperaturas, humidade muito alta, falta de ventilação e chuvas torrenciais.

  1. As flutuações de temperatura são mínimas: as temperaturas máximas variam entre 33°C nos meses mais quentes de Setembro e Outubro e 30°C nos meses mais frios entre Janeiro e Abril.
  2. As temperaturas mínimas são estáveis entre 22°C e 23°C durante todo o ano.
  3. A humidade é muito alta, que varia entre 87% em Abril e 79% nos meses entre Agosto e Outubro, devido à alta humidade ao longo do ano.

O ar é húmido e pesado. A precipitação é intensa em todos os meses do ano. Eles costumam cair durante a tarde na forma de tempestades violentas. Manaus recebe mais de 2.300 mm de chuva por ano. A precipitação é mais elevada entre Dezembro e Maio, enquanto diminui significativamente entre Junho e Novembro.

Quantos anos Manaus faz em 2022?

Manaus 353 anos: artistas manauaras declaram suas críticas e inspirações pela cidade MANAUS – Conhecida pela sua cultura, fauna, flora, arquitetura e tradicionalidade, a capital do Amazonas, Manaus, completa 353 anos em 2022 e é responsável por inspirar e compor as criações e expressões artísticas de quem nasceu na capital do Amazonas. Manaus completa 353 anos em 24 de outubro de 2022 (Ricardo Oliveira/Agência Amazônia)

  • Em comemoração ao aniversário de Manaus, a AGÊNCIA AMAZÔNIA reuniu artistas manauaras de diversos segmentos para falar sobre os impactos da cidade nas produções artísticas e quais as expectativas para os investimentos na cultura após o segundo turno das eleições para presidente da República e governador do Amazonas.
  • Leia também:
  • Berço do maior Festival de Ópera da América Latina e palco de outros inúmeros concertos e produções artísticas de música, dança, artes plásticas e arquitetura, o Teatro Amazonas é um dos pontos centrais das construções criativas na cidade e uma das inspirações da cantora manauara Lorena Simpson ().
  • Dona do hit ‘Brand New Day ‘, Lorena Simpson revelou à AGÊNCIA AMAZÔNIA possuir uma ligação afetiva com o Centro Histórico de Manaus, onde ficam localizados grande parte dos pontos turísticos da capital, incluindo o Teatro Amazonas.

Cantora Lorena Simpson mostra em suas músicas e videoclipes o amor por Manaus (Arquivo Pessoal) ” Tenho um relacionamento afetivo com essa parte da cidade por ser nascida e criada ali, e eu sempre amei morar próximo ao Teatro Amazonas. Tenho muitas memórias do Teatro e da Praça de São Sebastião que, com certeza, influenciam e impactam a minha história”, afirma a artista, que recentemente lançou a música “Felicidade “, em parceria com Raylla Araújo, cantora mirim nascida em Presidente Figueiredo.

  1. Na avaliação da cantora, todas as expressões artísticas do povo manauara, seja por meio da música ou do artesanato, geram um potencial turístico que pode ser aproveitado por quem vai estar à frente do Governo do Amazonas e da Presidência.
  2. Ela conta que já leu diversas pesquisas e estudos que comprovam o impacto da arte e do entretenimento na economia criativa em diversos países, e que esse resultado poderia ser empregado em Manaus, por meio de projetos de fomento, que geraram empregos.
  3. “A me u ver, os governos federais e estaduais precisam ter esse olhar diferenciado e entender que investir em arte traz sim resultados positivos e que mudanças, incentivos e investimento são ferramentas necessárias para haver crescimento e expansão do nosso Amazonas para ganhar o espaço que merece em âmbito nacional e mundial “, relata.

Cantora Lorena Simpson (Arquivo Pessoal) O premiado performer Francisco Rider traz críticas em suas obras sobre o abandono de determinados pontos da cidade, antes utilizados para turismo e lazer. ” Quando fiz o projeto Outras Manau(s), eu fui performar em vários desses sítios em estados deploráveis, mas que antes eram, de certa forma, “paradisíacos”. Francisco Rider usa a cidade como parte de suas apresentações (Arquivo Pessoal) Entre as inspirações de Rider, ele cita Bernadete Andrade, importante pintora, desenhista, professora e cenógrafa, nascida em Barreirinha, no interior do Amazonas. ” Minha amiga Bernadete Andrade (1953-2007), com quem colaborei em São Paulo no espetáculo “Pegamater” (1994), de minha autoria, fez a concepção visual.

Gosto muito da relação simbólica que ela tinha com a cidade de Manaus “. O artista cita ainda o trabalho visual de Roberto Evangelista (1946-2019), ” desde que vi uma instalação dele na Bienal de São Paulo, no início dos anos 1990, me inspirei em arte “. Além das pinturas do artista plástico Sérgio Cardoso e as obras literárias do escritor Márcio Souza e da escritora Astrid Cabral.

Rider é artista e gestor cultural autônomo, suas apresentações fazem diálogo com dança e o teatro contemporâneo, trazendo toques de improvisação e artes visuais. Por ser empresário do ramo, Francisco entende que as eleições de 2022 são coletivas e vão além do individual.

  1. Essa eleição será vital para a América Latina e para o Planeta Terra.
  2. Não adianta acharmos que é qualquer eleição, pois o que se está em jogo é a preservação da Floresta Amazônica e das vidas dos povos ancestrais amazônidas “, relata o artista.
  3. Ele acredita que o governo federal quer destruir a floresta por meio de pautas conservadoras e que unem política, religião e força militar.
See also:  Municipios Que Fazem Parte Da Zona Franca De Manaus?

” Esse governo atrela (essas pautas) de forma perigosa e fascista, e tem que ser derrotada no segundo turno, para o bem da humanidade! “, afirma. Francisco Rider usa a cidade como parte de suas apresentações (Foto: Leo Scant) Aldisio Filgueiras, compositor, poeta e jornalista manauara, diz enxergar Manaus como um recorte português de paisagem ‘arrasada’. ” Nas ruas, nos ônibus, me impacta o olhar de quem não acredita que acordou vivo e procura um culpado por isso; os igarapés soterrados.

  1. O que chamam de alegria em Manaus é apenas histeria.
  2. Manaus parece o Brasil “, relata.
  3. O artista tem em seu currículo grandes produções, inclusive seu livro de estreia, o ‘ Estado de Sítio ‘, foi censurado em 1968, durante a ditadura militar.
  4. Aldisio também foi compositor do sucesso regional ‘Porto de Lenha’, em parceria com o compositor Torrinho.

Filgueiras conta que gosta de ir à Praia da Ponta Negra para ver o rio durante a semana, mas não acredita em inspirações. ” Todo o meu trabalho é feito de escolhas, pesquisa, estudo. Respeito a obra de Luiz Bacellar, Elson Farias, poetas que deveriam ser lidos com mais frequência”, afirma. Poeta Aldisio Filgueiras escreve sobre Manaus desde criança (Ricardo Oliveira/Agência Amazônia) Para o poeta, autores como Márcio Souza, Zemaria Pinto, Tenório Telles, Renan Freitas Pinto, Antônio Loureiro, Etelvina Garcia, Nonato Tavares e sua tribo do teatro Vitória Régia, Aurélio Michiles são autores que conseguem construir pensamentos sobre Amazônia e que deveriam ter mais destaque.

Aldisio critica a centralização da política na capital, apesar de o Estado possuir uma pluralidade de arte e cultura pelos 62 municípios. ” Não é de estranhar que no primeiro turno um candidato ao governo estadual, e que já foi mais de duas vezes governador, tenha dito que o interior estava abandonado “, lembrou o poeta sobre o candidato Eduardo Braga (MDB), que concorre ao segundo turno contra Wilson Lima (União).

” A arte continuará a ser tratada como sempre foi: com um refinado desprezo, afinal, o povo civilizado não cospe nas calçadas “, argumenta o artista. Poeta Aldisio Filgueiras escreve sobre Manaus desde criança (Ricardo Oliveira/Agência Amazônia) Cantora e “imortal” da Academia Amazonense de Música, Karine Aguiar () é reconhecida pelo ‘ Jazz Jungle ‘, ritmo que combina a musicalidade do jazz com sons da Amazônia.

Nascida em Manaus, Karine também diz ter forte relação com o Teatro Amazonas, onde viveu momentos que marcaram sua trajetória. Solista da Orquestra de Violões do Amazonas por três anos, de 2011 a 2014, e ao menos duas vezes por mês, Karine se apresentava no Teatro Amazonas. ” Pode até parecer um clichê, mas o Teatro Amazonas tem um impacto bastante profundo não só em minha arte, mas também em minha vida pessoal “, conta.

” Cheguei a passar mais tempo dentro daquele teatro do que em minha própria casa “, revela a artista, que teve dois álbuns, ” Arraial do Mundo ” (2012) e ” Organic ” (2016), lançados dentro do Teatro, além do primeiro DVD, que posteriormente se tornou um documentário musical intitulado “Jungle Jazz: uma sinfonia amazônica” (2022). Karine Aguiar é “imortal” da Academia Amazonense de Música e usa ritmos amazonenses em suas composições (Ricardo Oliveira/Agência Amazônia) Nas artes visuais, Karine expõe a admiração pelo trabalho de Hadna Abreu e do Raiz Campos, artistas plásticos com trabalhos em Manaus.

” No audiovisual, destaco os trabalhos do Henrique Saunier Michiles e do Sérgio Andrade. Na literatura, viajo por meio das palavras de Milton Hatoum, Márcio Souza e Aníbal Beça. E, na moda, ultimamente tenho me envolvido bastante com os trabalhos de estilistas indígenas como a Seanny Artes, idealizadora da Mostra Intercultural de Moda Indígena “, revela.

Karine acredita que a eleição será crucial para o andamento da cultura não só no Estado, mas em todo o Brasil. Ela lembra que nos governos anteriores, com políticos do Partido dos Trabalhadores, a cultura era bem mais valorizada. ” Se continuarmos com o atual presidente da República, será uma tragédia incalculável, pois ele mesmo reitera sempre que pode seu desprezo pela cultura e pelos trabalhadores deste setor “, pontua a cantora, lembrando que só apenas no governo do PT, os mestres do Gambá de Maués conseguiram visibilidade. Cantora Karine Aguiar (Ricardo Oliveira/Agência Amazônia) : Manaus 353 anos: artistas manauaras declaram suas críticas e inspirações pela cidade

Como será outono inverno 2022?

La Niña e o frio do inverno de 2022 – O fenômeno La Niña vem perdendo força, mas a porção central e leste do Pacífico Equatorial segue fria, com temperatura abaixo da média. Como isto influencia o frio do inverno de 2022? O que muda na intensidade e trajetória das próximas massas polares? O meteorologista Celso Oliveira explica que, embora os estudos científicos não sejam conclusivos sobre a ideia de que o La Niña deixe os invernos mais frios, nota-se que a presença do fenômeno aumenta a frequência de massas polares.

  1. Mas não é o La Nina que define se essas massas polares terão grande penetração pelo interior do país.
  2. O histórico mostra que vários anos frios foram com La Niña.
  3. Este ano, o fenômeno já está demonstrando tendência de enfraquecimento, mas vai persistir durante todo o inverno.
  4. Isto significa que o Pacifico Equatorial central e leste vai continuar frio, embora mais próximo do sinal de neutralidade do que do La Niña.

Celso Oliveira complementa: “O El Niño é, de fato, um bloqueador de massas frias. Mas se o La Niña não garante a entrada de um maior número de massas frias sobre o Brasil, a neutralidade deve ser entendida como um facilitador.” Quantas ondas de frio são esperadas para o inverno de 2022 No calendário, o inverno de 2022 começa astronomicamente no dia 21 de junho (solstício de inverno) e se estende até 22 de setembro.

Mas as ondas de frio não obedecem necessariamente o período astronômico. O inverno de 2022 terá frio frequente, mas só 2 ou 3 massas polares vão efetivamente gerar situações de onda de frio no país. A tendência de neutralidade no centro e leste do Pacifico Equatorial, mas com características frias, vai facilitar a passagem de outras massas de ar frio sobre o Brasil ao longo do inverno.

Segundo Celso Oliveira, serão diversas massas de ar frio, mas até agora, somente duas parecem ter potencial para efetivamente espalhar o frio intenso pelo país: uma na segunda quinzena de junho e outra em julho. Outra moderada a forte é esperada para agosto.

Como vai ser outono inverno 2022?

A chegada do outono neste domingo deverá trazer a primeira onda de frio mais intensa de 2022, derrubando as temperaturas em diversas regiões do país. A expectativa é que a frente fria tenha força suficiente para avançar até alguns estados da região norte. É o que explica a meteorologista do Inmet Marlene Leal. Segundo a meteorologista, na estação de transição entre o verão e o inverno, que vai até o dia 21 de junho, também são esperadas chuvas acima da média em parte do Norte e Nordeste, e possibilidade de geadas no sul do país. A estação será marcada por chuvas volumosas no sudeste, especialmente no litoral de São Paulo e região serrana do Rio de Janeiro, recentemente castigada por uma enxurrada que deixou mais de 230 mortos.

Quando termina o verão amazônico?

Verão amazônico: Entenda –

  • No segundo semestre do ano no Brasil, e em toda a região abaixo da linha do equador, existem duas estações oficiais: o inverno e a primavera.
  • Na região amazônica, no Xingu e na Transamazônica, apenas uma estação é considerada nesse período que vai de julho até o fim do ano: o verão amazônico,
  • Ele é caracterizado pela estiagem das chuvas, o que favorece bastante o surgimento das chamadas “praias” dos rios.
  • Além da redução das chuvas, o verão amazônico ainda é marcado pelas altas temperaturas na região, que podem passar dos 36º C.

Qual o período do verão amazônico?

Com a chegada do verão amazônico, período entre julho a novembro, quando ocorre a escassez de chuva e a incidência do sol é mais forte, a população do Amazonas tem que lidar com o forte calor e radiações solares constantes no dia a dia.